Guia prático de mapa astral

Não é novidade alguma pra quem lê este blog que volta e meia eu dou meus pitacos astrológicos porque gosto da coisa. Muito. A ponto de ter passado alguns anos estudando tudo o que encontrei nas internets da vida e em livros por aí sobre o assunto. 

Tem gente que não leva astrologia a sério, mas leva Game os Thrones a ponto de se envolver em discussões que duram horas acerca de uma série cujo roteiro já se foi há muito tempo. Então, só deus pode me julgar e cada um leva a sério o que quiser, não é mesmo? 

Antes da gente começar a falar do mapa astral propriamente dito, tem algumas coisas que vocês precisam saber: 
- a astrologia se divide em duas correntes, a tradicional e a moderna
- tem gente que defende que apenas a tradicional deveria ser aceita, mas pra mim isso é a mesma coisa que ficar estagnado no tempo; 
- a moderna ainda está sendo estudada, então tem sim algumas coisas meio incompletas nela; 
- mas realmente acho que as duas se complementam e dá pra usarmos todo o conhecimento disponível de boas, sem grandes problemas ou rancores. 

Dito isso, vamos lá. 
A primeira coisa pra saber sobre o mapa astral, antes de sair por aí pegando sua certidão de nascimento pra conferir direitinho o horário, é que ele não é determinista. Não importa se você tiver sol em Capricórnio, não é por isso que você TEM DE ser uma pessoa má, cruel e desumana que só pensa em ficar rica. Isso é estereótipo de signo e ninguém é seu signo solar, mas sim seu mapa astral inteiro. 

A segunda coisa é que o mapa astral funciona melhor quando a gente o encara como algo que nos aponta coisas a melhorar. Ele não diz o que você é, mas as qualidades que possui e o que tem de trabalhar. Pra quem acredita em reencarnação, a coisa funciona melhor ainda, porque lida com questões kármicas e aí vira basicamente um mapa das cagadas feitas em outras vidas e o que se deve melhorar agora pra poder se livrar desse bad karma e ser feliz. Claro que se pode lidar com astrologia sem lidar com reencarnação, isso não é um pré-requisito. Se a pessoa for cética e mesmo assim quiser saber como funciona o mundo astrológico, basta pensar no mapa astral como um mapeamento de padrões de comportamento de acordo com datas. Pessoas que nasceram em tal data apresentam tais traços em comum etc., etc. Eu acho bacana ambas as visões, mas cada um com a sua. 

Como funciona o mapa astral?

No mapa astral, você tem os planetas, as casas e os signos (tem mais um monte de coisa, mas vamos trabalhar com o básico agora pra ninguém ficar perdido lendo previsão do Personare). Os planetas são energias básicas. As casas representam onde essas energias serão aplicadas. E os signos representam as características com que essas energias se manifestarão. Exemplo: eu tenho Sol em Aquário na casa 3. Isso significa, de uma forma bem básica, que a minha energia pessoal (Sol) se manifesta na área da comunicação (casa 3) com características de contestação, informalidade e preocupações com o coletivo, mas um interesse desapegado a pessoas (Aquário). Não é difícil, é só questão de juntar os pontos. 

Os planetas 


Como eu já disse, os planetas representam energias específicas. São separados assim:

Sol - é a essência da pessoa, mas também o desafio dela pra vida;
Lua - as emoções e como lidar com elas, é o que a pessoa tem de mais íntimo;
Mercúrio - a forma de se expressar e também de desenvolver o pensamento;
Vênus - o que atrai a pessoa, e não apenas no âmbito sentimental, como muitos pensam;
Marte - como a pessoa briga, como ela vai atrás do que quer, é a energia básica da vontade;
Júpiter - é o que expande, o grande benéfico que traz características boas (do signo) pra pessoa;
Saturno - os probleminhas, o karma, as noções de limite e como lidamos com a cobrança pessoal;
Urano - a ruptura, a rebeldia, o desejo de mudar (ou estagnar, se mal aspectado) as coisas;
Netuno - como lidamos com a espiritualidade e as coisas do Grande Além;
Plutão - mudanças extremas, coisas ligadas à morte e a espiritualidade e como lidamos com elas.

Ascendente - é o que aparentamos ser, mas não necessariamente somos;
Meio do Céu - onde conseguiremos sucesso profissional.

Os signos 


Falando de uma forma bem simples, os signos são as características que se manifestarão de acordo com o planeta e a casa da pessoa.

Áries - como todo mundo já sabe, Áries é conhecido por ser agressivo, só que não é só isso: também é mimado, é a eterna criança do zodíaco, mas é claro que não há apenas coisas ruins - aliás, bom ou ruim depende do ângulo que se vê. Áries também é determinado, mesmo que a determinação dure pouco, cabeça dura e tem bom coração (como  todos os signos de fogo).
Touro - o Touro é como um Touro: muitas vezes turrão, mas pode ser um amorzinho com quem sabe tratá-lo. É um signo de terra, então tem aquela coisa de ser pé no chão, mas ao mesmo tempo é o mais amoroso dos de terra, sabendo balancear seu lado prático com seu lado sentimental.
Gêmeos - talvez o signo mais metido que exista. Sendo de ar, ele tem muita agilidade mental, mas dependendo de onde está pode ser física também. É curioso, inquieto, sempre procurando coisas novas, se distraindo facilmente e ficando entediado mais facilmente ainda.
Câncer - se vocês pensam que Câncer é um signo da paz e do amor, cês estão muito enganados. Câncer é o signo da manipulação emocional. Claro que existe um lado bom, de cuidado, afeto e de saber expressar seus sentimentos (especialmente se ele estiver localizado na Lua), mas também é um signo muito perigoso justamente por ser muita emoção pra pouco raciocínio lógico. Signo de água, vai e vem, assim como seu elemento.
Leão - todo mundo sabe que Leão é vaidoso, tem um quê bem forte de arrogância e quer ser sempre o líder mesmo. Mas é claro que não é só isso: também é um signo amoroso (de fogo), generoso, que adora estar com os amigos e não mede esforços pra agradar as pessoas de que gosta (assim como tenta "naturalmente" humilhar a quem não gosta) e tem muita criatividade.
Virgem - não, Virgem não é cri-cri, mas é um signo de grande inteligência e perspicácia, o que pode incomodar pessoas que gostam de coisas mais bagunçadas e detestam análises. Como signo de terra, é prático, mas não chega a ser travado emocionalmente. O problema de Virgem é que ele se preocupa demais.
Libra - um dos signos mais manipuladores do zodíaco, Libra é perigoso justamente por aparentar ser tranquilo e querido, quando na verdade é um alpinista social. Mas é claro que ser tranquilo e querido são características bacanas e, quando bem usadas, a coisa do alpinismo social não se torna tão incomodativa. Como signo de ar, usa seu intelecto pra conseguir o que quer - o problema é que raramente sabe o que é isso.
Escorpião - apesar da fama de mau, um Escorpião só é perigoso quando sabe que poderia ser - e tem tendências ruins. De resto, não temam: é um signo bacana que se interessa pelas coisas ocultas, segredos, aquilo a que as pessoas não prestam atenção ou evitam por ser chocante demais, feio demais. Escorpião é de água, mas é a água congelada, é o iceberg. Apesar das fortes emoções, não sabe lidar com elas e machuca quem está por perto por causa disso. Não é bom quando no Sol, mas funciona bem em planetas auxiliares.
Sagitário - como todo signo de fogo, ele é amoroso e expansivo. Só que expansivo demais. Sagitário pode ser tanto muito aventureiro e divertido quanto fanático (se religioso ou não, vai da criação). É um signo de extremos que não sabe controlar seus rompantes e não conhece limites. Quebra muito a cara até aprender a se controlar um pouquinho.
Capricórnio - não é tão ruim quanto dizem, mas também não é bonzinho. Capricórnio é de terra e todos os signos de terra têm pé no chão, mas ele não tem o pé no chão, tem o pé pregado nele. Teimoso e duro, tanto pra si quanto pra os outros. Se Sagitário não conhece limites, Capricórnio não apenas os conhece como os estabelece.
Aquário - apesar da fama de ser o signo da amizade, Aquário é o mais solitário do zodíaco. Ele reúne as pessoas e depois se manda, pois funciona melhor na solidão do que no meio do barulho - apesar de adorar um barulho, especialmente se for de revolução. Aquário é teimoso e é de ar, então quando coloca algo na cabeça não há quem tire - a não ser que tenha um bom argumento lógico pra contrapor. Não é sentimental ou carinhoso e vive mais no mundo das ideias do que no real.
Peixes - o grande drama queen do zodíaco, Peixes, juntamente com Libra e Câncer, é a rainha da manipulação emocional. Se algo não é como ele quer, chora, sofre, se descabela - e faz da vida alheia um inferno pra que lhe prestem atenção. É água também, mas é o oceano, que te engole assim que a pessoa coloca o pé na beirada. Conhecido por seu romantismo, Peixes extrapola em tudo o que sente: não sabe sentir com moderação e por isso passa muitas vezes de vítima (apesar de geralmente não ser).

Claro que o que fiz aqui foi uma descrição genérica dos SIGNOS, NÃO DO SIGNO NO SOL. Não disse que piscianos são manipuladores emocionais, mas sim que essa é uma característica de Peixes. Porém, o mapa astral tem de ser analisado antes de se falar algo assim.

As casas 


As casas, como já falei anteriormente, são as áreas da vida onde as energias dos signos vão atuar.

Casa 1 (asc) - a casa 1 é a casa do ascendente (na verdade, a cúspide da casa 1 é a do ascendente, mas chegaremos lá) e o que está nela é sempre muito visto. É a primeira impressão que passamos, é como o mundo nos vê.
Casa 2 - relacionada a materialidade, no sentido de ganhos e despesas mesmo, finanças.
Casa 3 - acasa 3 é a da comunicação, do intelecto e como nos relacionamos com pessoas (não de forma romântica, mas a expressão).
Casa 4 - mostra como é a sua casa, a casa do berço familiar, como você enxerga essas questões, se há ou não conflitos.
Casa 5 - é a casa dos tuts-tuts, ou seja, da diversão, do badalo, como a gente se diverte, o que nos deixa animados e também o que criamos, onde está nosso desejo criativo.
Casa 6 - a casa das doenças, como lidamos com o aspecto da saúde (própria).
Casa 7 - a casa das relações "românticas", indica o que nos atrai no outro e como lidamos com um relacionamento.
Casa 8 - é a casa das grandes mudanças (morte, poder etc.), indica como lidamos com transformações e até onde mergulhamos nelas.
Casa 9 - é a casa dos estudos de ensino superior, do aprendizado e da moral e como aceitamos - ou não - essas questões na nossa vida.
Casa 10 (MC) - é a casa do trabalho, também conhecida como Meio do Céu, e indica onde teremos mais afinidade pra atingir sucesso profissional.
Casa 11 - relacionada à experiência de grupo, é a casa das amizades e de como lidamos com pessoas no coletivo.
Casa 12 - é a temida casa do karma, que nos indica (apesar de no mapa podermos ver outros indícios) fortemente onde devemos trabalhar nossas questões kármicas; também é a casa da espiritualidade.

Mas como tudo isso se junta? 


Juro que não é difícil. Até existem partes difíceis na astrologia, mas elas são pra os astrólogos profissionais que fazem mil cálculos e realmente se dedicam à coisa, não a nós que apenas estamos tentando entender o básico de um mapa astral. Vou dar alguns exemplos aqui pra vocês não se perderem.

Uma pessoa com Marte em Leão na casa 5 tende a ter reações egoístas e escandalosas quando está frustrada - e se frustra muito facilmente. Marte é a energia básica (de briga, mas não necessariamente, só que dá pra ver melhor Marte quando tem algum conflito), Leão é um signo tanto escandaloso quanto egoísta (lembrando que estou falando da parte negativa no signo porque o exemplo é de uma briga e quando brigamos a tendência é que nossos defeitos surjam com mais facilidade) e a casa 5 é a dos pequenos prazeres, da diversão, do que nos deixa animados. Então, uma pessoa com esse posicionamento, quando frustrada, vai ficar muito irritada e explodir com aquela fúria leonina tão entediante (entediante pra mim, que tenho Marte em Capricórnio e simplesmente não lido com conflitos porque não valem a pena, mas pode ser extremamente horrível pra quem se importa com isso, tendo Marte num signo de água, por exemplo).

Uma pessoa com Lua em Capricórnio na casa 12 será alguém com grandes tendências a se isolar emocionalmente tanto por não saber expressar o que sente quanto por não confiar nas pessoas o suficiente pra abrir seu íntimo. A Lua representa nossas emoções, o que temos de mais profundo, já Capricórnio não é um signo emocional, não sabe lidar com sentimentos e não confia muito na capacidade alheia, então prefere se resguardar, não mostrar "fraquezas" e colocar uma máscara naquilo até passar. Já a casa 12 é a dos karmas, e isso significaria que é justamente essa trava emocional que a pessoa tem de trabalhar pra desenvolver e destravar de uma vez.

Uma pessoa com Saturno em Peixes na casa 4 tem uma situação astrológica bem complicada porque Saturno é o grande maléfico (apesar de eu total amá-lo, mas isso talvez seja porque sou uma pessoa bem saturnina) e é o cara que nos cobra coisas, que nos mostra onde está o problema. Peixes é o signo do drama queen e também do sofrimento amplificado (nem sempre por um sofrimento real, mas sim pelo que a pessoa sente que sofre porque exagera na questão sentimental) e também do idealismo ilusório, de se convencer de que algo é de um jeito x apenas porque se queria que fosse. A casa 4 é a casa da família, do ambiente familiar, revela como são as relações dentro de casa. Então se a pessoa tem esse posicionamento, ela tem sérios problemas familiares, se sente rejeitada, não apreciada, quer ir embora, mas não consegue, pois tem muito apego e precisa resolver isso urgentemente e desenvolver sua independência.

Fiz uns exemplos aleatórios só pra ilustrar, mas é claro que eu estudo isso há algum tempo e pra mim é um pouco mais fácil. Porém, a partir daí, dá pra ter uma noção já de como funciona o mundo astrológico e tentar entender as coisas básicas do seu mapa astral.

Não sei se é do interesse de alguém, mas se quiserem posso continuar a falar de astrologia, falando sobre signos individualmente, posição das casas de forma mais detalhada etc. Vamo vendo e NÃO USEM ASTROLOGIA COMO DESCULPA PRA SER BABACA. Bjos. 

Então eu li Harry Potter


Cheguei da casa do namorado há pouco tempo, almocei e fui direto me grudar em Harry Potter e as Relíquias da Morte porque PRECISAVA terminar esse livro hoje. Não sei explicar como esse tipo de decisão acontece, porque os artigos e trocentos textos da faculdade e livros que os professores passam só fazem acumular, mas acho que se a gente viver só em cima de ~responsabilidades~ fica meio perturbada e as coisas tendem a não dar certo (falando nisso, lembrei que tenho MAIS UM artigo pra ler pra amanhã e ainda nem o imprimi, risos nervosos). 

Obviamente que não poderia falar de outra coisa que não fosse Harry Potter hoje. Gente. GENTE. Eu tenho 23 anos na cara e ainda não tinha lido o final da saga porque queria ficar adiando mesmo, cês me desculpem. Mas pensei que fosse sofrer mais do que sofri, na realidade. 

A única morte que realmente me fez chorar foi a do Dobby porque DOBBY MERECIA MAIS, DOBBY MELHOR PESSOA e jamais entenderei como a vaca da Bellatrix conseguiu esfaquear o menino Dobby. As outras mortes que me chatearam foram as do casal Lupin e Tonks - pessoas queridas, pessoas bacanas e que tinham acabado de ter um filho! Parece que dona J. K. gosta de fabricar órfãos - e do Fred, obviamente, pois os Weasley são a melhor família - mas também achei que até demorou pra algum Weasley morrer porque todos estavam NA LINHA DE FRENTE e quase não tiveram perdas, é incrível. 

Agora, se vocês acham que vou lamentar as mortes de Dumbledore e do Snape... vou não. Dumbledore é uma questão complicada. Gosto dele no mesmo tanto que não gosto. Ele manipulava todo mundo e total acho que Aberforth, seu irmão, estava certo em dizer que as pessoas o idolatravam, mas que no fundo não era bem assim e ele não era tão brilhante no ponto de vista humano - mas era carismático e talentoso, e também velho, o que acabou lhe dando certa sabedoria que ele total não soube usar porque se não fosse o papel do acaso, as coisas teriam dado completamente errado. Confiar todo um baita plano desses num adolescente e NEM AO MENOS CONTAR AS COISAS PRA ELE porque achou que talvez ele sucumbiria à ideia de poder assim como ele mesmo sucumbiu na adolescência? Não parece uma coisa muito inteligente, não. Eu nem vou me alongar porque ainda quero escrever só sobre o Dumbledore, mas acho que ele morreu na hora certa. 

Já o Snape: vocês realmente engoliram aquele arco de redenção dele? Olha, eu não. E eu gosto do Snape, acho ele um BAITA personagem, talvez o mais bem trabalhado de toda a saga. Só que ele não é bonzinho, gente. Não a ponto do Harry decidir colocar o nome dele no próprio filho. Bem, mas considerando que o Harry é leonino e SENTE COISAS mais do que pensa elas, é bem plausível até. Agora, dá pra entender também por que Snape se transformou naquela criatura vai-não-vai com as trevas. Quer dizer, não é como se James Potter e sua turma fossem pessoas legais, né? Isso aí foi metade resultado de bullying de garotos babacas que acham que podem tudo, metade criação horrível dentro de uma família péssima. Dá pra entender o Snape, mas não dá pra chamá-lo de herói por isso. 

Uma coisa que me irrita muito nos filmes e um pouco nos livros é que os pais do Harry, James e Lily, são caracterizados como se tivessem uns 40 anos, com caras de velhos e ~sabedoria~, sendo que eles eram uns moleques mais novos do que eu que a recém tinham saído da adolescência. E é muito louco pensar que um bando de adolescentes derrotou um bruxo de, o quê, 70 anos, cheio de subterfúgios, poderes e alma dividida pra se tornar imortal. GENTE. 

Aliás, Voldemort é um vilão ridículo demais. Sim, ele é mau. Sim, ele é horrível e ninguém está questionando a capacidade dele. Mas ele, como pessoa, é ridículo. 

Queria continuar escrevendo, mas SO MANY FEELINGS e tenho de ir pra faculdade. Porém, 2 posts ainda sairão: um sobre Dumbledore e outro sobre os aspectos astrológicos das personagens de Harry Potter - porque todos sabemos que J. K. é chegada numa astrologia e criou seus personagens de acordo com estereótipos de signos. 

O incrível meme das séries - parte 2

Continuando os trabalhos de ontem: 

6. I QUIT - uma série da qual desistiu: 

Pretty Little Liars: com essa coisa do final da série eu até pensei em dar mais uma chance. Foi um episódio e meio de muita tortura, até que parei tudo porque absolutamente não sou obrigada. Gente, que série mais nhemnhemnhem. A única coisa bacana são os figurinos. Adoro os figurinos. Mas se fosse por isso eu estaria revendo Gossip Girl, que também é chatinha, mas é muito mais série do que essa ENROLAÇÃO SEM FIM AAAAAAAAAAAH 

7. COMFORT SHOW - sua série conforto: 


Outlander: minha série conforto total mudou de How I met your mother (que eu ainda amo) pra Outlander porque se a Claire conseguiu passar por tudo aquilo, eu também consigo. 

8. BEST CAST - cast favorito:

Grace and Frankie: SÃO DUAS SENHORINHAS SENDO QUE UMA DELAS É A JANE FONDA E ELAS SÃO MUITO AMORECAS E FAZEM UMA SÉRIE DE DUAS SENHORINHAS SENDO SENHORINHAS E TEM FOTOS DAS DUAS NA INTERWEBS E É TUDO MUITO MARAVILHOSO AAAAAAAAAAAAAAAAH Eu amo demais essa série e esse cast, nem dá pra dizer o quanto - mas acho que a caixa alta aí em cima exprime um pouco o sentimento. 

9. BEST SCENES - três cenas marcantes:

Gente?! Como é que eu vou escolher três cenas marcantes? Não dá. Portanto, vou apenas dizer que VEJAM A SEGUNDA TEMPORADA DE GRACE AND FRANKIE!!!! VEJAM!!!!

10. MISS IT - três séries que já acabaram e você sente saudade: 


How I met your mother: eu sei que o final foi cagadíssimo, mas eu amo demais essa série e sinto falta dos diálogos completamente sem noção do Ted, do Marshall e sua crença no Pé Grande e da Lily com aquele gênio forte e seu método de castigo quando alguém se comporta mal.


Once upon a time: "ah, mas vai ter mais uma temporada" CALA A BOCA QUE NINGUÉM TE PERGUNTOU. Olha, vai ter mais uma temporada, mas com outro elenco. Pra mim, a série já terminou e vou sentir saudades eternas porque por mais louca que tenha ficado com aquela mistura de absolutamente tudo, eu amo demais OUAT. É uma série que acompanhei desde o início e sempre fiquei ansiosa esperando pelo episódio da semana. RIP OUAT, ALWAYS IN OUR HEARTS ♥


Penny Dreadful: VANESSA MERECIA MAAAAAAAAAAAIS! Gente, que tristeza. Penny Dreadful total deixou um rombo no meu roll de séries-amor que eu via semanalmente. E eles poderiam explorar tanta coisa mais! Nossa, até hoje fico triste quando penso que não haverá mais novos episódios dessa série maravilhosa.