Atemporal

Quando eu era pequena meus irmãos já eram adolescentes/adultos e basicamente tudo que havia para ser lido em casa eram livros deles, especialmente os didáticos. Acostumei a ler livros de português, história, geografia, biologia... mas meus preferidos sempre foram os que continham trechos de livros literários, contos, poemas, historietas. Um deles era meu preferido: um livro de português da 5ª série de capa verde, que continha uma historinha que jamais saiu de minha mente: a história de uma convenção de bruxas. Lembro que naquela história havia uma bruxa mãe com sua bruxinha filhote indo às compras em busca da vassoura voadora perfeita. Encantei-me na hora.

Passados alguns anos, fui à biblioteca escolar procurar sobre bruxas. Encontrei um livrinho que falava sobre duendes e gnomos. Li e reli-o não sei quantas vezes. Nessa mesma época aconteceu da febre pottermaníaca ter início, por conta dos filmes e livros. E, claro, aquilo me chamou atenção na hora. Livros e filmes que contam a história de um mini bruxo lutando contra o poder das trevas? Apaixonante.
Então minha vizinha, que tinha uma série de revistas a respeito de HP, tratou de me emprestar todas desde que eu falasse bem dela para meus irmãos (sim, afinal, meus irmãos faziam o sucesso da vizinhança).

Minha mãe, vendo minha inclinação para aquelas histórias de bruxaria, duendes, gnomos, e todo esse universo mágico, ficou maluca e me proibiu terminantemente de ler ou assistir aos filmes de HP. Eu, como era pequena, nada podia fazer a respeito a não ser esperar o tempo passar e ler/assistir outras coisas até lá.

Até ano passado.
Eu, não mais a menininha de 7 anos, mas a moça de 19, arranjei um amigo pottermaníaco que ficou mais do que feliz em me emprestar os livros de sua coleção. E eu li, senhores, li com gosto, vontade e um sorriso no rosto. E assisti aos filmes, todos eles. A ideia inicial era esperar ler os livros para só então assistir aos filmes, mas quem disse que consegui resistir ao incrível enredo da saga Harry Potter?! Not at all.

Então, dia desses, estava eu lendo um dos livros de HP durante o recreio escolar, bem sossegada e distraída, quando chega um "cerumano", me olha de cima a baixo e diz:
— Tu não tem mais nada pra ler, né?
— Por que diz isso?
— Pra estar lendo isso aí deve estar em falta de livros bons, haha.
— Eu gosto de Harry Potter. É uma excelente série.
— Mas tu já passou da idade de ler isso, isso é pra criança, tá 10 anos atrasada.
— Ao menos não estou tatuando no corpo os personagens, como certas pessoas fazem (a pessoa em questão é cheia de tatuagens de personagens; nada contra, mas coerência é sempre de bom tom antes de falar dos outros). Fora que não sabia que existia idade para a literatura.

A pessoa baixou a cabeça, fingiu ouvir algo e foi embora. E eu, claro, continuei com minha leitura e aproveitando o momento "voltando à infância: uma saga pelo imaginário mágico".

Creio que não preciso dizer o quanto Harry Potter é bom. Creio que não preciso dizer que estou encantada com esse universo de criaturas mágicas e gente maluca. Creio que não preciso recomendar os livros ou os filmes para as pessoas.

Mas preciso dizer: não há idade para a literatura. Simplesmente porque ela é atemporal. Assim como eu.

3 comentários

  1. Um fora bem dado vale mais do que sei lá o que que dizem por aí na uébi. Gente sem noção...

    Me identifiquei com a atemporaneidade literária porque estou lendo um livro que já foi lançado faz horas, comprei alguns lançamentos, os quais só vou ter vida para ler DEPOIS de terminar o que já comecei a ler atrasado. Mas e daí? A verdade é que: não é sempre que encontramos alguém pra discutir um livro com um mês de lançamento e que já tenha terminado de ler.

    ResponderExcluir
  2. Noooooossa Mia, sua história parece com a minha!!!
    Eu também tinha pouquíssimo o que ler quando pequena. Só os livros didáticos mesmo.
    Até que comecei a emprestar alguns na biblioteca da escola, mas sempre dava um problema no sistema lá, e não emprestavam mais.
    Daí por fim, comecei a emprestar na biblioteca municipal - quando já tinha idade para pegar lá; e baixei várioooooooos em pdf também - e foi assim que li Harry Potter *-*
    Só que o mais engraçado, é que como sendo de família evangélica (acho isso uma ignorância sem tamanho!), desde que HP foi lançado o primeiro filme, que queria conhecer, minha mamy também não deixava, porque segundo ela, "era coisa do capeta!".
    Daí, quando estava com 15 anos (2010), assisti Câmara Secreta na tv, com dor no coração por desobedece-la, e assim me apaixonei por essa série incrível!!!
    Agora, até ela tá gostando!
    Já li todos os livros e assisti milhares de vezes os filmes, rsrs, agora to relendo a série em Inglês, e me preparando para reler de novo em Português! kk' =D
    Pra ficar melhor, falta minha mamy largar a preguiça e ler também!!!

    Ameeei o layout e o post!!!!
    bjosss ♥

    ResponderExcluir
  3. Me identifiquei muito com o teu texto!
    Embora eu não tenha sido proibida de ler, nunca tive muito interesse na leitura, mas ano passado decidi que iria assistir a todos os filmes e ler os livros. Comecei com os filmes - assisti todos, em ordem - e agora estou no quinto livro da série. Achei o mais chato até agora e como estava num semestre turbulento eu adiei a leitura, mas pretendo fazer isso nas férias!

    palavras alienadas

    ResponderExcluir