Stupid fucking book

Adeus às armas
Ernest Hemingway
Editora Bertrand Brasil
406 páginas
Ano de publicação: 1929 

Sobre o que é: um cara americano chamado Henry um dia, em plena Primeira Guerra Mundial, decide se alistar no exército italiano e passa a ser motorista de ambulâncias. Por que ele fez isso? Jamais saberemos e, pelo que ele próprio fala, nem mesmo ele o sabe. Em meio ao conflito ele tem tempo pra sair com seus amigos de guerra e dormir com prostitutas. Numa dessas noitadas ele acaba encontrando uma enfermeira inglesa que também estava na Itália - parece que todos queriam ser italianos naquela época - chamada Catherine. Eles sentam, conversam sobre a guerra por alguns minutos e, no outro dia, quando se encontram novamente, já rolam juras de amor tresloucadas e muitos beijos. DO MAIS ABSOLUTO NADA. 

Por que ele é bom? Porque eu finalmente consegui entender o que as pessoas tanto querem dizer quando falam que o Hemingway é o mestre dos diálogos. Migas, ele é mesmo. O cara é bom. O livro todo é basicamente composto por diálogos - exceto as primeiras páginas, onde há muitas descrições pra situar o leitor. Os diálogos chegam a durar páginas, como na vida real mesmo, e isso é extremamente legal porque dá uma proximidade do leitor para com a obra. A forma de escrita do Hemingway é REALMENTE muito crua, como pode ser visto neste trecho incrível: 
Senti calor nas pernas e umidade, e calor e umidade também dentro dos sapatos. Sabia que fora ferido e levei a mão ao joelho. E meu joelho não estava mais lá. Minha mão afundou-se. Meu joelho fora parar na altura da canela. Limpei a mão na camisa. (p. 71) 

Por que ele é ruim? Vamos começar com o fato de que eu demorei cerca de duas semanas para ler esse livro. Ele não é um livro grande. Quer dizer, a fonte é gigante, sabe? E ele é cheio de diálogos. Mas eu simplesmente não consegui me conectar com personagem algum. Hemingway fica o livro inteiro intercalando entre uma história de guerra e uma história de """"amor"""" (e pode continuar colocando aspas até o infinito e além, porque que raio de amor é esse que a pessoa se conhece num dia, conversa meia hora e no outro dia já está fazendo juras de amor e planos para fugir juntos? okay, eu entendo o desespero da guerra, mas vão se catar e aquietar esses úteros, pelamordedeus!), e isso é um saco. A pessoa fica meio perdida. 

Fora que o Hemingway é incrível, sim, em diálogos, mas não em descrições. Há páginas inteiras apenas sobre a forma como o cara REMAVA. Ninguém quer realmente saber disso. Okay, talvez alguém queira, mas eu não. 

Outra coisa que me irritou é a submissão da Catherine para com o Henry. A mulher, literalmente, está em trabalho de parto e se recusa a gritar ou fazer caretas porque "quer ser uma boa esposa". GO TO HELL!!!! E fica o tempo todo se depreciando porque está gorda pela gravidez e acha que o cara vai deixá-la por conta disso. Querida, se o cara te deixar por conta de gordura ou gravidez é porque ele nunca te gostou. Simples. Mas foi escrito por um homem e no século passado, então a gente meio que releva porque sabe que naquela época esses ainda eram os costumes vigentes e o escritor estava retratando a época da Primeira Guerra. Mas: que saco. 

Agora, a coisa mais revoltante desse livro é o final. Eu esperava um final lindinho? Não. É um livro sobre guerra, não é pra ser bonito. Mas: REVOLTANTE. Vocês assistiram O Lado Bom da Vida? Sabem aquela cena em que o Pat joga um livro pela janela? ENTÃO. Era esse o livro. 

~I know that feeling, bro~ 

SPOILER ALERT ~mas tanto faz, porque o livro é ruim mesmo~
E, como o Pat diz na cena: 
O tempo todo você torce para que o cara sobreviva à guerra e ficar com a mulher que ele ama, Catherine. E ele sobrevive. Ele sobrevive à guerra após uma explosão, ele sobrevive e escapa para a Suíça com a Catherine. Mas agora ela está grávida, e isso é ótimo porque ela está grávida e eles vão para as montanhas e estão felizes e bebem muito vinho e dançam pra caramba, o que é entediante, mas eu gostei, porque eles estavam felizes. Você acha que termina por aí. Mas não. Ele escreve outro final. Ela morre. Quer dizer, o mundo já é difícil o bastante do jeito que é. Será que alguém poderia dizer sejamos positivos e dar um bom final para a história?

Se eu recomendo a leitura? NÃO. FOR GOD'S SAKE, NÃO! A não ser que você seja fã do Hemingway, goste muito de guerras ou adore uma história com final infeliz - ou goste da sensação de se sentir frustrado e querer atirar o livro pela janela.

Em um quote (tremendamente honesto):
Aos que trazem coragem a este mundo, o mundo precisa quebrá-los, para conseguir eliminá-los, e é o que faz. O mundo os quebra, a todos; no entanto, muitos deles tornam-se mais fortes, justamente no ponto onde foram quebrados. Mas aos que não se deixam quebrar, o mundo os mata. Mata os muito bons, os muito meigos, os muito bravos — indiferentemente. (p. 269) 

Este post faz parte do Desafio 50 livros de 1900 para ler antes de morrer. Confira aqui a lista com todos os títulos que lerei até agosto do ano que vem. \o/  

18 comentários:

  1. ah, eu gosto justamente de histórias de guerra com final infeliz e curti O velho e o mar, do autor... então... :v acho que vou gostar desse livro, embora vc tenha detestado... e fiquei super curiosa agora com o fim, ainda mais pela cena da janela, pq não li/vi O lado bom da vida e achei engraçada a expressão do ator ao fim do livro [pelo gif] rsrsr

    ResponderExcluir
  2. Me julguem por não conhecer esse livro haha mas adorei a premissa porém não sei se leria já que os seus pontos negativos me fez perceber de que qualquer forma eu não irei gostar
    Mas adorei a sua sinceridade
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá! Eu sou meio dramatica, portanto ate certo finais tristes, porém quando nós apegamos a história, é horrível se decepcionar no fim. Eu adorei o seu modo de contar os pontos positivos e negativos. É já ouvi falar muito desse autor e me sinto na obrigação de le-lo rs. Bjos.

    ResponderExcluir
  4. Assim, se fizer sentido dentro do contexto da história, não me importo de ter um final triste no livro, ou agridoce. Mas, reitero, se for condizente com tudo o que li, claro! A sensação que fiquei com seu post foi de que esse final de destruir corações foi meio gratuito, só pra chocar. Se for isso mesmo... bem, não vou querer saber do sr. Hemingway, desculpa sociedade!

    =**

    ResponderExcluir
  5. gosto de livros com essa pega de guerra, faz eu refletir de certa maneira!

    ResponderExcluir
  6. Olá, menina apesar de tudo isso acredita que fiquei com uma enorme vontade de ler??? eu gosto de livros de guerra ( mas não de filmes) e esse pareceu ser bem do estilo que me atrai, li o spoiller e com certeza eu quero ler esse livro, nossa mesmo com essa tristeza e com essas situações chatas eu gostei do livro. Sou estranha? kkk não sei, mas sei que quero ler =D

    ResponderExcluir
  7. Eu AMO Hemingway, Mia! Paris é uma Festa foi um dos melhores livros que li ano passado. Acho ele genial. Nunca ouvi ninguém falando que não gostou de Adeus as armas. Agora confesso que fiquei meio receosa :~
    Mas provavelmente vou acabar gostando como gosto de udo que ele escreve hahha

    ResponderExcluir
  8. Oi!! Tudo bem?

    Eu não conhecia esse livro e a premissa não me chamou atenção. Esse livro não faz o meu gênero preferido e eu até daria uma chance para o livro mas com os pontos que você apontou acho que iria abandonar no meio da leitura. Então passo a dica!

    Abraços,
    Ludy
    http://nodivacomaspalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Confesso que o livro me deixou mega curiosa, vou procurar mais resenhas que detalhem melhor a obra. Curti o fato de não ter uma overdose de romantismo, não suporto essa doença estérica de 'final feliz'.

    ResponderExcluir
  10. Dessa vez eu li a resenha de um livro que não pretendo ler e não me arrependi porque é menos um pra riscar da minha lista. Santa ignorância desse escritor. Imagina se a mulher grávida vai estar feliz nas montanhas enquanto bebem VINHO, sendo que o autor parece que nem se deu ao trabalho de falar do filho, se era parecido com alguém, se nasceu morto, qualquer coisa assim.
    Quer ler sobre relatos de guerra? Tenta o Chuva Negra, do Masuji Ibuse. Eu já doei o livro, mas queria tê-lo só pra anotar as receitas do que os japoneses comiam na guerra. Vai que eu largo a advocacia e abro uma biboca temática com comida de guerra?

    ResponderExcluir
  11. não conheço esse livro (e depois da sua resenha não pretendo conhecê-lo)
    entretanto me diverti com o post! adoro resenhas metendo o pau #polemicas

    Eu curto finais tristes às vezes. Tem gente que força e parece que hoje em dia tudo tem que terminar bem, todos os vilões tem que ser bonzinhos no fundo, sei lá. Mas livro que é tudo ruim e tá todo mundo na bad ngm merece D:

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Eu não conhecia o livro, mas a premissa me chamou a atenção e achei bem interessante.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Infelizmente o livro não me agradou muito. Acho que não é muito meu estilo.

    Abraços
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?
    Eu nunca tinha ouvido falar sobre esse livro, mas o achei interessante e gostei dessa coisa de ser mais composto por diálogos, mas confesso que saber que você demorou para ler me desanimou :/

    Beijos :*
    Larissa - srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Oie, eu acho que também iria achar o livro ruim porque não gosto dos que trazem guerra de alguma maneira e pelo que você disse seria bem provável que eu abandonasse, mas pra quem gosta deve ser uma boa pedida.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  16. Que revolta!! kkk eu tava louca pra ler esse livro, justamente pela reação do Pat, porque eu gosto de ficar fula com finais e de odiar os autores! Mas agora, depois do seu post, posso dizer com certeza que não vou ler esse livro! Odeeeeio descrições desnecessárias!!!
    Enfim, obrigada pela sinceridade na resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Oii!

    Não conhecia o livro e infelizmente ele não me chamou a atenção. Se você demorou duas semanas para ler esse livro, eu com certeza vou demorar um mês!
    Adorei a sua sinceridade na resenha!

    Beijos, Kamila
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
  18. Oie, tudo bom?
    Eu também não gosto quando não consigo me conectar com os personagens e nesses casos eu também tenho uma experiência negativa de leitura. Bom, não conhecia o livro. Apesar de tudo que você disse, fiquei curiosa pela temática sobre guerra, mas também fiquei com receio desse final.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 
Wink .187 tons de frio.