Sessenta e duas mil repetições fazem uma verdade

Admirável mundo novo 
Aldous Huxley
Editora Biblioteca Azul
306 páginas
Ano de publicação: 1932 

Sobre o que é: a sociedade como a conhecemos não mais existe. Na distópica sociedade do livro as pessoas não têm famílias, pais, mães, irmãos, avós. Todo mundo "nasce" de bocais, ou seja: clonagem humana, multiplicação de embriões. Cada óvulo rende 180 pessoas, que serão cultivadas nos tais bocais para servirem à sociedade pós-Ford. Existem várias castas que são separadas já nos bocais: os Alfa recebem mais oxigênio e nutrientes, os Beta menos e os Ípsilon quase nada, afinal, deles só se exige um trabalho braçal. Todo mundo é trabalhado no behaviorismo fortemente e ninguém se queixa de nada, afinal de contas, cada um desempenha o seu papel de forma bonita e dopada, todo mundo condicionado a fazer o que tem de ser feito e ser feliz com isso. Diariamente, após o trabalho, recebem uma dose do soma, que é um tipo de droga que inibe as emoções, para que o sistema não seja desestabilizado. Tudo vai bem, até que um dia um dos Alfas começa a pensar demais, ser eficiente demais e contesta aquela sociedade onde ninguém é de ninguém (Zíbia Gasparetto feelings), onde a fidelidade é considerada pecaminosa e onde todos são obrigatoriamente felizes. 

Por que ele é bom? Porque é real. "Mia, não seja louca, é claro que não é real, a gente não é decantado em bocais!" AINDA NÃO. Okay, estou sendo pessimista. Mas o fato é que Huxley escreveu isso antes mesmo da televisão ter sido inventada, numa época tremendamente conservadora, em que a Grande Depressão assolava a economia estadunidense - sim, Huxley era britânico, mas o fato é que tanto a América quanto a Europa sofriam com a crise e com a premente guerra - e a tecnologia certamente não era assim tão avançada. OU SEJA: senhor Huxley, o senhor tem meu respeito, hein.

Bernard é um dos Alfas produzidos em série num laboratório, no entanto ele sempre foi um pouco mais estranho do que os outros por conta de um erro laboratorial: muito álcool em seu pseudossangue. É através da visão dele que vemos primeiro a estranheza desse brave new world. Porém, Huxley não fica só nesse draminha de um cara desajustado na sociedade: um dia esse carinha vai tirar férias e acaba escolhendo qual lugar? O LUGAR ONDE ESTÃO OS SELVAGENS. *BOOM* Os Selvagens nada mais são do que uma tribo que mistura ritos indígenas com cristianismo extremo e não possuem tecnologia alguma. E aí que lá na tribo existe uma criaturinha chamada John que acabará indo pra essa Londres pós-Ford e a trama começará a ficar tensa a partir daí.

"Cem repetições, três noites por semana, durante quatro anos", pensou Bernard Marx, que era especialista em hipnopedia. "Sessenta e duas mil repetições fazem uma verdade. Imbecis!" (p. 69) 

É difícil falar desse livro sem entrar nas questões políticas e sociais, mas o fato é que: essa distopia tá mais próxima da nossa realidade do que pensamos e isso assusta pra caramba.

Por que ele é ruim? Ele não é ruim, no entanto a pessoa demora umas 100 páginas pra engrenar na leitura. Isso porque o Huxley realmente nos insere naquele universo distópico e esquisito e, justamente por ser tudo tão estranho, a pessoa demora um pouco pra se ambientar e acostumar com a escrita e os modos. Mas a partir do momento em que isso acontece, a história só vai.

Porém, o final desse livro. O final desse livro é a coisa mais triste que existe.
~eu, ao terminar esse livro~
Se eu recomendo a leitura? SIM! ♥ Mas pode ser que você leia o livro e o atire na parede, achando-o muito chato. Miga, ele não é chato, mas tem seu momento certo para ser lido. A primeira vez que tentei ler esse livro, quando tinha meus 18 anos, não passei das primeiras 100 páginas porque até lá a leitura não vai andar MESMO. Mas, depois disso, é só amor. Admirável Mundo Novo é um daqueles livros que a gente tem de ler ao menos uma vez na vida.

Em um quote:
E esse é o segredo da felicidade e da virtude: amarmos o que somos obrigados a fazer. Tal é a finalidade de todo o condicionamento: fazer as pessoas amarem o destino social de que não podem escapar. (p. 36) 

Este post faz parte do Desafio 50 livros de 1900 para ler antes de morrerConfira aqui a lista com todos os títulos que lerei até agosto do ano que vem. \o/  

25 comentários

  1. Não sei, não sei. De primeira não é um livro que eu compraria, muito menos sabendo que demora um pouquinho para andar. Mas a resenha está legal, o que facilita bastante o interesse. Beijos e sucesso para o blog!


    Ensaiando

    ResponderExcluir
  2. Ótima resenha, Mia. Esse é um dos meus livros favoritos e eu fiquei bem perturbada na época com o retrato da realidade - seria até um livro de terror se não fosse TÃO realista. Quer dizer, okay, (ainda) não somos condicionados biologicamente, mas vamos ver sobre o que o livro fala: uma sociedade dividida em castas de modo que cada pessoa que nasce pertence a uma classe social e é condicionada a aceitar seu destino e cumprir seu papel, sem questionar... Não parece próximo demais?
    E awh, eu achei a trama tensa desde o início (leia de novo aquele início meio chato e científico, é assustador!!!) e concordo que demora a engrenar na leitura. Na verdade, a primeira vez que peguei pra ler li umas 30 páginas e larguei de mão HSAIDHAU, na segunda estava numa viagem de carro e li sem parar rs

    E ah, não sei se tu leu a minha resenha, mas por via das dúvidas vou deixar o link XD

    Beijos, Vickawaii
    http://wheresmyneverland.blogspot.com.br/2015/06/resenha-admiravel-mundo-novo.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade sobre essa ótica de castas acho que só seria parecido se estivéssemos na Coreia do Norte ;)

      Excluir
  3. Eu ainda não li, ele tá a uns meses na minha estante junto com milhares que ainda não li, comecei a ler o Laranja Mecânica e virei fã, tô em menos de 1/4 do livro haha, mas tive que interromper a leitura por motivos de TCC, prefiro ler um livro com calma, e somente ele, não um monte de livro ao mesmo tempo, fico estressada não consigo prestar atenção em nada.

    Sobre críticas sociais bom não li não sei a qual eles se refere, tô com a revolução dos bichos também que é super famosinho mas ainda não li e vou deixar pra ler daqui a um bom tempinho.

    Acho que estamos caminhando sim pra uma distopia, fells like URSS, não tô curtindo, mas é o que tem né? a culpa não é minha haha

    www.jewilhelm.com

    ResponderExcluir
  4. Oii florzinha, sempre fui louca por esse livro e até hoje ainda não o achei para comprar em livrarias, sem que fosse preciso fazer uma encomenda!
    Achei bem interessante a sua resenha e gostei bastante das perguntas que fizeste e que respondeu.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi! Tudo bem?

    Eu tenho muita vontade de ler esse livro. E, apesar de você ter dito que leva umas 100 páginas para engrenar a leitura, sua resenha me deixou ainda mais curiosa! Preciso saber o que acontece no final... Sinto que será devastador. Além disso, posso ter uma ideia de quão a frente de sua época o autor estava.

    Beijos,

    Juliana Garcez | Livros e Flores

    ResponderExcluir
  6. Adorei tua resenha, a história toda parece ser muito interessante. Engraçado que quando fui lendo a resenha pensei exatamente isso que vc escreveu ''essa distopia tá mais próxima da nossa realidade do que pensamos e isso assusta pra caramba''... doido isso não? E realmente assusta.
    Agora fiquei super curiosa pra ler esse livro :)

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não li Admirável mundo novo, mas essa é uma leitura que desejo muito fazer um dia.
    Gosto muito de distopias e esse é um clássico da literatura!
    Quero ler com bastante calma para apreciar bem a leitura e espero gostar muito!

    Beijos :*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  8. Olá, eu sempre ouço falarem muito sobre esse livro, pela trama ele parece muito interessante mas eu acho que não está na minha hora de ler, sabe? acho que se eu pegar ele agora provavelmente eu não vou aproveitar e apreciar tanto a leitura como ela merece. Espero um dia conseguir lê-lo, quando estiver com as ideias mais formadas.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  9. Otima resenha.
    Eu tenho vontade de ler esse livro, eu o considero uma clássico, não o li pelo fato que vc mesmo disse na resenha, de não estar preparada, hoje poderia até tentar ler, mas iria abandonar, mas quem sabe ano que vem né?!
    http://odiariodoleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. oie como vai?
    GENTE SUA ANIMÇÃO ME CONTAGIOU KKKKKKKK e me lembro um livro que um amigo recomendou e disse que também era incrivel, eu gosto de livros assim, com questões politicas e o fato de ser tão crivel e real como os dias de hoje me deixa curiosa.

    ResponderExcluir
  11. Amei a postagem e a indicação. Sempre ouvi falar muito desse livro, mas ainda não tive a oportunidade de ler e tudo que sabia sobre ele era ser uma distopia muito boa (amo distopias). Com certeza vai entrar na minha lista!
    Um beijo

    ResponderExcluir
  12. Gente, adorei a sua forma de resenhar, sério. Esse provavelmente não é um livro pra mim, pelo o enredo dá pra entender que é o tipo de livro com um enredo pra tipos de leitores muito específicos.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Realmente, tem gente que acha o livro chato, eu sempre utilizo nas rodas de leitura em sala de aula, mas quando começo a contextualizar com outros universos, a galera curte bastante. Por mim, leria todos os dias hauhauhauhauhauahua

    ResponderExcluir
  14. Ah que legal. Nem conhecia esse título nem o autor. A ideia do livro é realmente assustadora, eu tenho medo de algo do gênero acontecer sabia? Adorei sua resenha. Ficou bem descontraída e gostosa de ler ♥

    ResponderExcluir
  15. Gosto muitos quando as pessoas leem livros por indicação, assim vemos que a leitura é ótima.
    Sobre o gênero, eu não curto muito! Mas já li um livro que fala de politica, até achei legal.

    Atenciosamente Um baixinho nos Livros.

    ResponderExcluir
  16. Hey,

    Morro de vontade de ler esse livros. Mas tenho medo de esse não ser o exato momento para absorver a história como você mesmo disse que ocorreu com você da primeira vez que pegou ele para ler. Mas mesmo assim acho super interessante a premissa e espero gostar tanto quanto você.

    Beijos,
    Dois Dedos de Prosa

    ResponderExcluir
  17. Oi, tudo bem?
    Eu tenho esse livro em casa e como ele é muito bem comentado eu tenho curiosidade em ler, mas sempre acabo enrolando, sabe? Isso porque não é o gênero que costumo e gosto de ler com frequência, mas um dia pretendo ler ainda.

    Beijos :*
    Larissa - srtabookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. O livro é realmente muito bom, mas tem que ter o momento certo pra ler mesmo.. eu peguei ele uns dois anos atrás e não consegui engrenar, quem sabe num futuro próximo! Esse post me deixou com vontade mesmo haha

    beijo!

    ResponderExcluir
  19. Oie!!
    Li esse livro quando tinhas uns 16, 17 anos. Meu pai gostava muito de discutir essas questões e era obrigação lá em casa ler. Lembro pouquíssima coisa sobre ele e não o releria por agora, vou esperar a hora certa!
    Beijos

    LuMartinho | Face

    ResponderExcluir
  20. Olá,
    Eu li esse livro tem alguns anos, e concordo com você quanto a ter o momento para lê-lo, para leitores iniciantes não é algo fácil.

    ResponderExcluir
  21. Oii, é a primeira vez que eu leio essa resenha e achei incrivel.

    Abraços!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Tenho esse livro e não li ainda... como eu tô atrasada com as leituras... -.-'

    Regina K.,
    reginakadov.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Oie, tudo bom?
    Sabe aquele livro que você já escutou muitas coisas sobre ele, mas que não sabe bem qual é sua proposta? Realmente esse tipo de livroprecisa ser lido em uma época oportuna para que a experiência seja completa.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Oii!

    Não conhecia o livro e fiquei um pouco confusa sobre o que se trata por isso acho que não irei ler.
    Adorei o post!

    Beijos, Amanda
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir