Absolutamente incorrigível

O Retrato de Dorian Gray
Oscar Wilde
Editora Penguin Companhia
244 páginas
Ano de publicação: 1891 

Sobre o que é: Basil Hallward é um carinha britânico que adora pintar quadros. Um dia seu amigo, Lorde Henry Wotton - um dândi, aparece em sua casa e pergunta quem é o jovem que serviu de modelo para um quadro tão magnífico e incrivelmente belo que Basil está finalizando. Basil faz cara de espanto e diz que não pode revelar tal coisa. Porém, Dorian Gray, o rapaz do quadro, chega no mesmo momento, Lorde Henry acaba por conhecê-lo e começa a influenciá-lo fortemente de uma forma não muito legal. A partir daí Dorian passa a se importar demais com a própria aparência e juventude e, num momento de total narcisismo e medo de envelhecer, diz que daria tudo, até mesmo a alma, pra que o quadro envelhecesse e ele continuasse eternamente jovem. Algum demônio zombeteiro - e velado - decide atender a esse pedido só pra ver no que vai dar e daí temos a história. 

Por que ele é bom? Porque OSCAR WILDE MELHOR ESCRITOR?! LORDE HENRY WOTTON MELHOR PERSONAGEM?! PACTO COM O BELZEBU?! São tantas as opções, mas direi apenas que: narrativa. Eu literalmente usei mais de 50 post-its num livro de 244 páginas, ou seja: amo/sou. ♥ O Retrato de Dorian Gray é um dos meus livros preferidos da vida desde que eu era criança. Foi um dos primeiros clássicos que li e essa releitura nas férias me fez comprovar a genialidade de Wilde. Ele poderia escrever sobre cavalos e ainda assim eu certamente o leria com prazer. O cara era incrível.

Mas as falas de Lorde Henry. Gente, as falas de Lorde Henry são impagáveis.

— O que é a arte?
— Um mal.
— E o amor?
— Uma ilusão.
— E a religião?
— Um elegante substituto da fé.
— Você é um cético!
— Jamais! O ceticismo é o princípio da fé.
— O que você é?
— Definir é limitar.
— Dê-me uma pista.
— Os fios se rompem. Você se perderia no labirinto. (p. 214) 

~lorde henry dos anos 40 = melhor lorde henry de todos~

Por que ele é ruim? ENTÃO. O senhor Oscar Wilde não era apenas um escritor maravilhoso: era também machista. Mais do que um machista comum: misógino. E, apesar de o livro ser maravilhoso, dá vontade de quebrar a cara do Wilde às vezes simplesmente porque: VÁ SE CATAR, NÃO É SÓ PORQUE TU TENS O DOM DA ESCRITA QUE VOU TE IDOLATRAR COM TODA ESSA MISOGINIA!!!! Mas me segurei porque né? O cara tá morto, o livro é bom mesmo. Contudo, cheio de frases como esta:

As mulheres são um sexo puramente decorativo. Elas nunca têm nada a dizer, mas o dizem de forma encantadora. 

E aí dá vontade de largar o livro de lado mesmo porque não sou obrigada a ler algo que me insulta. Porém, respiro fundo e abstraio. Se o cara fosse dos dias de hoje provavelmente o boicotaria na leitura. Mas o que eu esperava de um homem do século XIX? ¯\_(ツ)_/¯

Se eu recomendo a leitura? Sim, mas é claro que sim! É um livro maravilhoso que te transporta direto pra Londres do século XIX, além de te fazer refletir sobre várias - várias! - coisas e sobre como o ser humano, quando jovem, é facilmente influenciável - digo isso porque qualquer pessoa que leu o livro pôde perceber claramente que o Dorian é um baita babaca, sim, um cara super escroto, mas que basicamente faz tudo o que faz pra se igualar e até mesmo agradar Lorde Henry, o amor - velado -  de sua vida.

Sim, há o machismo. Sim, dá vontade de rasgar o livro na parte em que aparece a Sybil Vane por conta do que o babaca do Dorian faz. Porém... é realmente um livro que vale a pena ser lido. Se não por tudo o que falei, então ao menos para se conhecer um baita clássico da literatura.

Em um quote: 
Gosto mais de pessoas do que de princípios, e de pessoas sem princípios mais do que qualquer outra coisa. (p. 16) 

22 comentários

  1. Nunca li nada do Oscarito, mas morro de vontade e acho a história genial! O triste de ler livros dessa época são essas barbaridades né? Quando li a Letra Escarlate tinha coisa até pior, pfff e o livro nem foi bom no final das contas, tristeza né?

    beijo!

    ResponderExcluir
  2. Lembro que li na metade do ensino médio, e de cara virou um dos favoritos. Peguei emprestado na escola, hoje tenho três versões que ainda não li (hahaha), mas vou botar na minha meta de 2016 depois desse teu texto. Como adolescente que eu era, lembro que me sentia O Dorian, então claro que dei razão a ele. Vamos ver agora, ciente do feminismo então...
    Já li De Profundis ano passado, e cito ele até hoje. Muito, muito dolorido...

    Beijão! (e que capa linda! PS.: fui num encontro e enquanto estava com o moço na livraria, sessão de dvds, o que vejo? Isso mesmo, teu filme do Alexandre)

    ResponderExcluir
  3. Tenho reparado que todo mundo anda lendo esse livro ultimamente, mesmo sendo um clássico de 1891 (já vi em mais de três blogs só nesse último mês hahaha).
    Mas enfim, acho que a sua foi a melhor review deste livro que vi, e apesar de eu ainda não ter lido a obra, me despertou ainda mais a curiosidade.
    Quando citou as falas de Lorde Henry, em específico na parte sobre a fé, me lembrei um pouco de Machado de Assis que, num de seus contos (acho que era A Cartomante), um dos personagens não acredita em nada que se relaciona a superstição e fé e cita algo parecido com "o ceticismo é o princípio da fé" - não com essas palavras, claro, mas o sentido era esse.
    Acho que sobre o machismo, infelizmente era normal na época né. Claro que dá raiva quando lemos hoje, mas temos que pensar por esse lado também.
    E o quote, adorei! <3

    ResponderExcluir
  4. Não li esse livro ainda, mas já li um do Oscar Wilde no tempo da faculdade e achei super interessante. Acredito que ele seja um ótimo escritor. E essa capa bem emblemática :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  5. Li esse livro no começo do ano passado e simplesmente adorei. Posso arriscar dizer que é quase um dos meus favoritos. Quero reler em breve pra encher de post-its :D

    ResponderExcluir
  6. Oiii, tudo bem?
    Tenho tanta vontade de assistir este livro, ainda não tive oportunidade, mas a vontade é grande!
    Beijão
    http://segredosliterarios-oficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Eita que resenha incrível!
    Honesta e Convincente...parabéns!
    Tenho muita vontade de ler esse clássico,principalmente depois de ter visto a adaptação.
    Beijo;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oioi!
    Estou com esse livro aqui em casa, doida pra ler.
    Sua resenha me animou muito!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Eu também adoro esse livro. Acho que foi o primeiro romance gótico que li, ainda na adolescência. Só que naquele época não entendi muita coisa. Depois voltei a reler, mas ainda vou ler novamente, para resenhá-lo no blog.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Oscar Wilde é uma maravilha não é? Podemos chamar de divo literário que fica tudo certo <3 Adorei os quotes que você selecionou, fiquei com vontade de ler <3

    ResponderExcluir
  11. Eu fiz o contrário, assisti o filme e digo, quase me decepcionei. Creio que terei mais sorte com a leitura, algo me diz que sim. Gostei de sua resenha, me deu mais força pra seguir em frente com a leitura. Parabéns!
    Ni
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  12. Nunca li, mas uma vez vi na biblioteca da escola e fiquei com MUITA vontade, mas estava em ano de vestibular e nao peguei pois nao tinha tempo nem de ler lista de supermercado :( Pretendo ler logo logo, parece ser muito bom. Não sabia que continha coisas tao machistas :/ Uma pena. Flores no Outono

    ResponderExcluir
  13. Oie,

    Eu já ouvi falar do livro, mas faz muito tempo, por ser um clássico eu fiquei com uma vontade de ler. Não conhecia esse autor #NãoMeJulguem. Irei dar uma chance a leitura, mesmo ele sendo machista, mas é o século XIX era o pensamento da época.

    Mayla

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Eu já ouvi falar desse livro, mas sinceramente, não é algo que eu gostaria de ler no momento.
    Gosto de livros clássicos, e o fato de o protagonista ser machista, me deixa bem curiosa!
    Parece ser interessante, mas tenho outras prioridades no momento.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Hi baby, tudo bem? a séculos ouço falar desse livro (mas calma que eu não sou como ele) hehe e também tenho muito interesse em ver os filmes, tem até um remake recente. seu blog é lindo e adorei a resenha <3

    Seguindo seu blog amore <3

    Lilian Valentim
    http://speakcinema.blogspot.com.br/
    beijinhos

    ResponderExcluir
  16. 'definir é limitar' é minha descrição no meu perfil do okcupid HAHAHAHAHA <3 até agora nenhum idiota entendeu a referência e ficam me chamando de ~misteriosa~ e eu fico BITCH LETS TALK BOOKS.
    amo esse livro.
    Tanta coisa boa que a gente ia perder de ler se fosse não ler por causa desse tipo de coisa, nos resta aceitar que esse tempo trevoso existiu e fazer vista grossa, né? Mas como tu disse, boicotaria se atual fosse :)
    Confabulando agora fiquei pensando se toda essa misoginia não serve pra ~ambientar~ um pouco que Dorian Grey na verdade ~não gosta de mulher~ e tal. Dei uma pesquisada aqui e vi que procede. Se puder dá uma olhada aí também e vamos confabular juntas hahahaha

    ResponderExcluir
  17. Achei esse livro na biblioteca da minha ex escola, mas não pude pegar. Sempre tive curiosidade de lê-lo. Não vejo a hora.
    bjs, bjs

    ResponderExcluir
  18. Ah, Dorian Grey! <3

    Já faz tanto tempo que li esse livrinho que não lembrava nem da misoginia do senhor Oscar Wilde. Tá louco, como o pensamento é antigo e terrível. Não nego que a escrita é ótima, o livro é incrível, mas esse conteúdo de teor duvidoso acaba comigo. O que é uma pena, né? Poderia ser tão mais fabuloso sem isso. Mas aí penso que pode ser coisa do livro e não do autor, mas nunca li nada sobre pra ter certeza.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  19. Infelizmente nunca li nada do Oscar Wilde, mas olha, com a ressaca literária que eu tive ano passado, a verdade é que eu não to lendo é ninguém ultimamente
    Me sinto da mesma forma que você se sentiu quando leio Charles Bukowski, essa semana mesmo assisti a um documentário sobre ele e acabei pegando ódio do autor (?) apesar de gostar muito da maioria dos poemas que ele escreveu, era um homem extremamente nojento :(

    Novembro Inconstante

    ResponderExcluir
  20. Mia, adoro suas resenhas, você se empolga e é muito legal de ler *-* além disso você sempre mostra livros que eu não conhecia (omg, me sentindo a pessoa que só lê best seller modinha, mas ok). Vou anotando tudo no Skoob porque né, recomendações boas é sempre bom salvar.

    Esse negócio do machismo é foda em livros antigos, outro dia entrei nessa brisa com senhor dos anéis mas parei de pensar no tema porque é meu livro favorito e não quero criar birra com ele. Relevemos né..?

    ResponderExcluir
  21. Rolei na cama lendo sua resenha. O retrato de Dorian Gray é um livro fabuloso, de deixar o leitor embasbacado com algumas verdades dos diálogos, e com todo esse lado fantástico que circunda a obra. Quando li também reparei na misoginia do Wilde (ou seria do narrador somente?) - I mean, com a única personagem feminina de destaque sendo tratada daquela maneira e terminando com aquele final, é impossível não perceber. Mas convenhamos que Oscar Wilde nunca foi um cara chegado em mocinhas, né? Acho que ele nunca chegou a prestar atenção em mulheres e suas complexidades em primeiro lugar, e aí acabou caindo na discriminação. Uma pena, o livro já é bom, mas poderia ficar melhor com esse reconhecimento a mais.

    Beijinhos, Mia. :*

    ResponderExcluir
  22. Já li esse post umas trezentas vezes e nada de comentar, LKEMFLAMDSF peço perdão pelo vacilo

    Eis um livro que eu preciso ler antes de morrer (assim como vários outros clássicos), mas como eu sou chata pra ler, acho que vou tacar sim o livro na parede nessas passagens machistas. Mas sabe, eu tô aprendendo que eu preciso parar de tentar ver as coisas como um todo e pegar as partes boas dos livros. Atualmente tô lendo um que tem umas partes que estão me dando nos nervos, mas outras que estão me deixando completamente encantada e até agora não sei se tô gostando do livro ou não (mas só vejo avaliações boas no Good Reads, ou seja...)

    Se vários dos diálogos do livro forem assim, eu com certeza vou amar lê-lo. E sinto também que seja um daqueles livros que nos mostram horrores e a gente até aprende uma lição de moral, né.

    Beijinhos.

    ResponderExcluir