É muito fácil ser legal

É muito fácil ser legal quando se tem passagens pra ir de lá pra cá todos os dias, quando não se tem de contar moedas pra poder ir pra faculdade, quando se tem de escolher entre comer um lanche e voltar pra casa porque aumentaram novamente a tarifa. É muito fácil ser legal quando se pode estar presente em tudo o que os amigos fazem, quando se pode acompanhá-los até aquela lancheria e dividir a conta depois, quando se pode sair de casa em pleno domingo pra ir a um evento apenas por diversão. Qualquer um, por mais incrível que seja, se torna a pessoa chata do rolê quando não tem condições de se divertir, de ser jovem e aproveitar as oportunidades, simplesmente não se importando com as consequências por um dia ou dois. É muito fácil ser legal quando se pode presentear os amigos e pagar 30 golpes pra entrar numa festa ridícula, que só lhe dará dor de cabeça, mas na qual você vai porque o grupinho do qual você participa estará lá. É facílimo ser legal quando alguém lhe convida pra ir ao cinema e você nem precisa ponderar se, caso for, terá ou não o que comer durante a semana. É muito fácil ser legal quando todas as suas contas estão em dia, quando não estão na iminência de cortar seu telefone, sua internet e sua luz apenas porque você teve de fazer uma escolha entre ir à faculdade ou pagar as contas. É muito fácil ser legal quando se pode sustentar um padrãozinho classe média (baixa, alta, a escolha é sua) e ainda reclamar porque "olha o preço do temaki". Porque você é legal. Você vai reclamar, mas terá condições de pagar sem que isso lhe prive de necessidades básicas. Você é legal. Você pode fazer dietas, você pode ir à lancherias, você pode comer comida japonesa uma vez por semana porque pode escolher o que comer. E ter o poder de escolha da própria alimentação é privilégio pra poucos. Mas é muito fácil ser legal quando se pode dizer sim pra os convites, pras comemorações, pras viagens, quando não se tem de ponderar se terá condições de sobreviver amanhã porque tudo o que você comeu o dia inteiro foi um pedaço de pão com uma mortadela de aparência duvidosa que estava na geladeira. É muito fácil ser legal quando não se é tão pobre que mal consegue se concentrar em seus estudos porque o peso da existência e da responsabilidade lhe cai como uma bigorna na cabeça. Mas você sabe que precisa estudar se quiser ainda ter uma chance, por mínima que seja, de conseguir construir uma realidade melhor do que a de seus pais. 

É tão fácil ser legal quando você consegue aquele emprego bacana mesmo que você não tenha se esforçado para tal, não possua um grande currículo nem nada do tipo, mas tenha indicação de gente tão legal quanto você e uma aparência bem cuidada de quem pode comprar roupas boas, ir ao cabeleireiro, ao dentista e à manicure. 

É muito fácil ser legal quando não se é responsável por dar um jeito na situação caótica da sua família, quando não se é a última esperança de todos. 

É muito fácil ser legal quando você nunca teve de fazer a escolha entre continuar estudando ou arranjar um trabalho em período integral pra poder comer. 

É muito fácil ser legal. 
Não sei do que tanto reclamam. 

~grupinho do amô pra gente se apoiar durante o BEDA~

4 comentários:

  1. eu não sou legal, e acho que só quem não é legal sabe o quanto é difícil não ser legal, obrigada por escrever isso, saber que existe pessoas que entendem, vivem nesse mundo onde as coisas são sempre complicadas e cada passeio é um sacrifício. obrigada Mia, vc não sabe o quanto é importante ler isso.

    ResponderExcluir
  2. Esse post, Mia. Agosto inteiro tem sido essa sucessão de pensamentos. Poderia até compartilhar ele nos links da semana, mas acho que são poucas as pessoas que vão entender o peso disso. É impossível ser legal assim, mas única chance que a gente tem é continuar tentando existir apesar disso tudo. <3

    ResponderExcluir
  3. queria apontar esse texto na cara dos legais todos os dias da minha vida. sobre o que me aconteceu aqui só posso dizer que é muita sorte e dedicação aos estudos, mas sobretudo sorte. sou quase "legal", mas moro no fim da cidade e não posso escolher morar mais perto do trabalho ou trabalhar mais perto de casa. tenho que aguentar o dormir para trabalhar e o trabalhar para dormir mesmo, lendo nos coletivos e até gastando com livros mas não tendo tempo para lê-los, nem condições de fazer um mestrado ainda, formada ganhando sálário de concurso nível médio. sou quase legal, mas não sou tão legal como alguém que fez faculdade famosa em São Paulo e nunca trabalhou porque estudava integralmente. e mesmo sendo quase legal, eu prefiro estar com os não legais e vê-los crescer e conseguir, da maneira que podem, e luto para que cada vez seja menos difícil ter uma vida digna e atrelada aos sonhos.

    ResponderExcluir
  4. Eu não sou legal e não sei o que é ser legal. Inclusive, um dos fatores que me levaram a desistir da faculdade presencial foram os grupos escrotos de pessoas ~legais~ com os quais eu tinha que conviver. Era obrigada a escutar "nossa, tô muito puto, não tenho grana (COF COF minha mãe/pai não me deram COF COF) pra ir em festa X", quando eu havia passado a semana APENAS almoçando e, ainda por cima, salsicha com arroz e só.

    Eu não tenho saco pra aguentar serumaninho playboy mimado me dizendo que o temaki tá caro, já mando tomar no cu e falows. Therefore, não sirvo pra conviver em sociedade por motivos de: pessoas assim parecem estar se multiplicando igual câncer.

    ResponderExcluir

 
Wink .187 tons de frio.