Um robô não pode ferir um ser humano

Eu, Robô 
Isaac Asimov
Editora Ediouro
318 páginas
Ano de publicação: 1950 
Sobre o que é: um repórter entrevista a robôpsicóloga Susan Calvin, uma das maiores especialistas em robótica no mundo. A entrevista se divide em nove histórias, cada uma narrando a trajetória não apenas de Susan, mas da inserção dos robôs nas vidas dos seres humanos. Estamos em 2060 e a sociedade está completamente modificada com robôs positrônicos em vitais posições. A doutora Calvin é uma senhorinha de 75 anos que já está cansada de toda sua vivência na robótica, mas que ainda se dispõe a sentar, tomar um chazinho com um repórter e contar suas historinhas de ~pequenos problemas~ que aconteceram envolvendo robôs.

Por que ele é bom? ASIMOV. ROBÔS. AS TRÊS LEIS DA ROBÓTICA. EU SOU AQUARIANA. E INTP. Perceberam as relações? Pois então. Titia Mia vai explicar para os desentendidos em sci-fi: Isaac Asimov, esse russo naturalizado norte-americano maravilhoso, não apenas escreveu ficção científica de uma forma "atual" e válida - mesmo mais de 50 anos passados - como também criou as três leis da robótica, aplicadas até os dias de hoje. BOOM. O cara não se contentou em ser """"apenas"""" um escritor e pai da robótica: foi também bioquímico. E vocês aí dizendo que humanas e exatas não combinam, né? VEJA SÓ COMO SÃO AS COISAS.

Mas okay, momento fangirl desativado - mentira, mas finjamos que sim. O fato é que: o livro é uma série de contos - 9 ao total - sendo que cada um tem um condutor a outro. Eles não são apenas contos soltos e eu amei isso! Geralmente, o que me irrita em livros de contos é justamente o fato de um não ter relação alguma com o outro, mas isso não ocorre nesse livro maravilhoso porque todos eles dependem um do outro e são narrados pela gentil, mas formal, senhorinha robôpsicóloga: Susan Calvin.

Inclusive: SUSAN CALVIN, MELHOR PERSONAGEM! QUE MULHER FORTE E MARAVILHOSA! QUERO SER ELA QUANDO CRESCER!


A progressão com que os robôs evoluem também é algo lindo de acompanhar. Fora o fato de que todos os contos são interessantes, Asimov não perdeu o ritmo de narração em nenhum deles.

Por que ele é ruim? ELE NÃO É RUIM, PELAMOR. Um dos melhores livrinhos que já li na vida, inclusive. Sem queixas.

Se eu recomendo a leitura? Não apenas recomendo como estou me perguntando o que você está fazendo aqui ao invés de ler essa maravilhosidade literária agora mesmo, hein.

Em um quote:
Primeira Lei da Robótica: Um robô não pode causar mal, ou por negligência, permitir que o mal aconteça a um ser humano.
Segunda Lei da Robótica: Um robô deve obedecer a um ser humano, a não ser que a ordem dada contrarie a Primeira Lei.
Terceira Lei da Robótica: Um robô deve preservar a sua existência, a menos que isso contrarie a Primeira e a Segunda Leis. (p. 9) 
P.S.: Menção honrosa para um conto que traz um dos melhores diálogos de toda a literatura: um robô que utiliza a lógica de Descartes. PURO AMOR. ♥

Este post faz parte do Desafio 50 livros de 1900 para ler antes de morrer. Confira aqui a lista com todos os títulos que lerei até sabe-se lá quando. \o/   

A vida da pessoa insone

É realmente muito difícil. 
Porque a pessoa vai dormir - de pura exaustão - às 23h e acorda às 2h, fica protelando na cama, encarando o teto pra ver se o sono vem enquanto seu cérebro toca a todo o volume a trilha sonora de Frozen em looping. 92 versões de Do you want to build a snowman? depois, a pessoa se conforma com sua total inabilidade de viver em sociedade como uma pessoa ~normal~, levanta e vai fazer uma limonada, reclamar no twitter (convenhamos, é a razão de ser daquele site) e atualizar o quase-abandonado blog. 

Cogitei arrumar a estante do quarto, mas aí lembrei que já havia feito isso ANTES de dormir e que justamente esse foi o motivo - ou um dos - que me fez conseguir dormir ao menos durante 3h esta noite. 

Passo dias sem dormir, correndo de um lado pra o outro, para, quando finalmente consigo descansar um pouco, dormir por no máximo 4h. E nos piores horários. Como, por exemplo, no meio de uma conversa com uma amiga ou naquela aula importante de Cultura Digital (inclusive, adoro ♥ PROF, ADORO SUA AULA, É QUE EU SOU DESREGULADA MESMO, PERDOA O SONO FORA DE HORA - mas consegui passar com nota acima da média, portanto aqui temos o real exemplo de como funciona a hipnopedia). 

Aí todo mundo me pergunta: "Mia, como tu consegue fazer tantas coisas ao mesmo tempo?". Simples, filhote: 
EU
♥ 
NÃO 
♥ 
DURMO 
♥ 


E vocês aí achando que eu tinha um vira-tempo, né? QUEM DERA, AMIGUINHOS. 

Sofro. :) 

Não mande nudes

Desnuda a minha alma
e eu mesma
desnudarei
o teu corpo.

Pra que ser apenas mais um corpo
desnudo
no teu cartão de memória do celular
se eu posso ser
uma alma
desnuda
em versos rimados, em dós, sustenidos,
em suspiros quebrados?

Não quero oferecer uma mercadoria de
63 quilos
de ossos, carne, dobras salientes,
mas sem nem um arrepio.

Não quero ser escolhida como a ficante da noite.
A mais bonitinha.
A que melhor se adapta
ao teu dia a dia.

Quero poética, quero renascer
em cada estrofe
do teu querer.

Quero desejar
te ter.
Em meus poemas
te descrever.

Não mande nudes.
Mande poesia.
Poetize a minha
rotina. 

Diálogos macabéicos

Na última semana as pessoas enlouqueceram de formas absurdas e superaram completamente até mesmo os meus altíssimos níveis de incoerência. A coisa foi tão forte que eu distendi o músculo do pescoço só de stress. 

Ou estou com caxumba. 
Ou, sei lá, pode ser voodoo. Dado o fato de que eu sou essa pessoa tão incomodativa não descarto essa possibilidade. 

Mas o fato é que: todo mundo resolveu testar minha paciência durante esta semana. Me dei ao trabalho, portanto, de fazer uma seleção com os melhores diálogos da semaninha, dignos de Macabéa em seu mais simples sentido - ou falta de. 

dialoguinho 1 

— Com quem tu dormiu? 

Não sei se ocorreu ao indivíduo em questão que talvez eu não esteja dormindo com ninguém? E que, mesmo que estivesse, isso não é da conta dele, não é mesmo? Mas talvez, SÓ TALVEZ, seja eu a louca e esse tipo de pergunta, completamente do mais absoluto nada, seja, de fato, aceitável. 

dialoguinho 2 

— Mia, eu te amo! 
— Tudo bem, mas eu realmente tô a fim de ficar sozinha neste fim de semana. 
— Mia, vai tomar no cu! 

Não compreendo? Hello? Coerência pra quê, né? Mas como sempre digo quando me mandam tomar no orifício anal: muito gostaria, mas estamos com falta de quórum no momento. Quem sabe mais tarde. 

dialoguinho 3 

— Mia, eu quero te estudar! 

Gostaria de dizer que apenas uma pessoa me disse isso esta semana, mas estaria mentindo. Na verdade, foram duas. Uma num contexto até ~aceitável~, outra de forma completamente aleatória. Ainda estou averiguando se as duas pessoas não se conhecem porque só isso explicaria tamanha sincronia macabéica. 

dialoguinho 4 

— Mia, você toma psicotrópicos? Não toma nada pra doenças psiquiátricas, Mia? Nem um rivotrilzinho? Poderia tomar pra dar uma ajudada... 

A pessoa surgiu do além perguntando tal coisa sendo que a mesma pessoa não falava comigo há um mês. Não sei o que faz com que os cerumanos sintam-se à vontade para me falar tais coisas de ordem psiquiátrica, mas não, não tomo nada. Nem no orifício anal, ultimamente, por sinal. Mas tomo muito chá de limão e mel porque não há saúde que resista a viagens de ônibus de 4h diárias com as janelas fechadas e um bandigente doente em volta.

Só espero pelas férias porque será um mês inteiro em que eu não falarei com NINGUÉM e verei trocentos filmes e colocarei minhas séries em dia e terminarei de ler meus livros que estão numa pilha ao lado da cama desde fevereiro! \o/

Mas vamos se acalmar porque HOJE A RECÉM É SEGUNDA, YAY!

~imagens de dor e sofrimento~
 
Wink .187 tons de frio.