As pessoas no ônibus, elas são o inferno

Uma das coisas que mais me deixa louca é ter de andar de ônibus. Não, eu não me importo com os sacolejos daquele trambolho, tampouco com a demora do trajeto. O que realmente me incomoda são as pessoas. 

Tô 100% nem aí se pareço misantropa - até porque é bem possível que meu grau de misantropia seja meio elevado mesmo -, mas as pessoas, elas são o inferno. Sartre estava certíssimo quando disse isso e eu não poderia contradizê-lo, mesmo não indo muito com a cara dele. 

A ceninha do pessoas e por que elas são tão escrotas de hoje se passa dentro de um ônibus lotado (como sempre). Estava eu cheirosa e cansada, saindo da faculdade quando o tão esperado ônibus finalmente aparece. ALELUIA, já tinha atrasado meia hora e eu só precisava de um canto pra ficar quietinha durante as duas horas de viagem. 

- Um canto pra ficar quietinha? - zombou o Universo. 
- Sim, um canto pra ficar quietinha - disse eu, na maior inocência. 
- Hm, veremos. 


Entrei no dito cujo. Havia apenas um lugar vago e ele tinha de ser meu, obviamente. Sentei, abri meu livrinho e comecei a fazer leitura, bem feliz da vida por ter encontrado um cantinho pra ler durante as horas até em casa. 

Então a porta do ônibus se abre. Sobe por ela uma mulher. A senhora que está ao meu lado levanta prontamente e cede lugar. Okay, achei bacana, achei respeitoso. "Por que você não fez isso então, Mia?" Olha, porque nem deu tempo de pensar em fazer e a outra já tinha feito. Desculpa, sou uma pessoa de atitudes lentas, vida que segue.

Só que aí a mulher sentou ao meu lado e no mesmo momento eu tive de me controlar fortemente pra não vomitar. Olhei pra o lado: a mulher estava imunda. Não imunda do tipo pessoa mendiga - eu jamais brincaria com isso, até porque um dos meus maiores medos é de me tornar uma dessas pessoas que ficam nas ruas porque a vida é muito difícil/horrível, então elas saem e nunca mais voltam e começam a pregar sobre o apocalipse para transeuntes incautos  -, mas sim do tipo: hoje não tava a fim de tomar banho, desculpaí.

A mulher sentou ao meu lado e eu, que estava com uma echarpe no pescoço, tive de pegar aquilo e enrolar na minha cara porque ou era isso ou era cosplay de Reagan vomitando no Padre Karras.

Aguentei a viagem toda assim, com a cara tapandinha e a mulher fedendo horrores ao meu lado. Ela, vendo aquela cena de eu com a cara tapada, não ficou muito contente e começou a resmungar e a me dar cutucões (!!!!), ao que eu apenas inspirei fundo e fiz o Buda porque chega de brigas em ônibus, Mia, você não tem mais idade pra isso, Mia.

Após muita meditação e uma concentração jamais antes vista no livro da vez, percebi que o ônibus estava esvaziando e decidi levantar pra procurar outro canto pra sentar. PRA QUÊ? Foi eu fazer isso que pessoas aleatórias começaram a me encarar feio e falar coisas como: "Meu Deus, que horrível", "Olha só isso, nem disfarça", "Não tem consideração pelos outros". Ao que eu, cansadíssima e de saco cheio, mandei um:

- QUERIDOS, BANHO EXISTE, SABIA?

Fui pra um canto e lá fiquei, encarando todo mundo feio até que baixassem a cabeça porque não sou obrigada.

Não compreendo o que leva o ser humano a ser a sua pior versão no transporte público, mas me pergunto seriamente qualé a dificuldade de fazer higiene básica. Como eu já disse várias vezes, não é difícil se portar nos transporte coletivo.

Você não precisa ser simpático.
Você não precisa ser querido.
Você não precisa ser extrovertido.
Você não precisa flertar.
Você não precisar amar filhotes de cachorro (apesar de que se você não amá-los é bem provável que eu te ache uma pessoa no mínimo estranha demais).
Mas você precisa ter HIGIENE. Especialmente se for estar num ambiente fechado com outras pessoas.

Dito isso: vão tomar no cy, vou inventar o teletransporte e parar com essa palhaçada. 

7 comentários

  1. Só li verdades... hahaha, e que pessoas hipócritas ein, Mia. Se elas estivessem em seu lugar DUVIDE-O-DÓ que iriam aguentar o cheiro da moça sem se incomodar, e essa mulher então... Vai ver só queria causar com o mal cheiro, hehe. Beijos!

    ilitost.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. kkkk cara arrumar briga no ônibus é tão minha cara, pior coisa ficar ao lado de alguém fedendo, já aconteceu comigo também


    Blog Entre Ver e Viver

    ResponderExcluir
  3. eu ri muito. saudades dos teus textos.
    reginakadov.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. AAAAAAAAAAAAAHAHAHAHAH meu deus do céu, eu ri alto aqui! e me identifiquei pois também não consigo controlar minha cara de cu pras pessoas, mas vida que segue, haha

    ResponderExcluir
  5. kkk e o grito que eu dei com a frase que você disse!!!
    Eu não consigo mudar de lugar assim, muito menos falar algo do tipo, morro de medo das pessoas me olhando.

    ResponderExcluir
  6. Hahahaha nesse post está escrito tudo o que um dia eu sempre quis falar, obrigada!!! hahahah
    Pego ônibus todos os dias, e cenas como essas são muito frequentes...
    Aproveitando a oportunidade, respondi lá no blog uma tag que vi aqui. Espero que goste, bjs!!

    http://blog-myselfhere.blogspot.com.br/2017/07/tag-50-20171.html

    ResponderExcluir
  7. Eu não entendi o imunda? Ela parecia alguém sem condições de tomar banho ou alguém que não tomava banho de próposito?

    Bom, acho que na sua situação qualquer um teria feito o mesmo, mas ninguém ia querer admitir isso.

    ResponderExcluir