La casa de los espíritus

A casa dos espíritos
Isabel Allende
448 páginas
Bertrand Brasil
Ano de publicação: 1982 

Sobre o que é: Alba Trueba é uma guria que, em pleno Chile dos anos 70, luta contra a ditadura de Pinochet e decidiu fazer aquilo que pode: registrar a memória da história do país, que se mistura com a história de sua família. Tudo começa com Clara del Valle, sua avó clarividente, a pessoa mágica e esquista da família que acaba, por um acaso do destino, se casando com Esteban Trueba, um cara extremamente conservador e violento, que escraviza seus empregados e chama isso de ser um bom patrão. Coisas acontecem, os Trueba vão tomando cada um seu rumo na história e desempenhando seu papel na luta pela liberdade, tanto do país quanto feminina. 

Por que ele é bom? Isabel Allende é uma das minhas escritoras preferidas porque ela escreve coisas que aconteceram mascarando tudo com ficção e uma magia na escrita que só quem já leu algum livro dela entende. Não tem como ler algo dela que seja ruim. Simplesmente não tem. Tudo que essa mulher escreve é mágico e maravilhoso. 

Esse foi o primeiro livro dela, escrito em 1982, durante o exílio no Peru, quando teve de sair do Chile por conta da ditadura e do fato de ser parente do Salvador Allende, o presidente assassinado durante o golpe de 1973, liderado por Pinochet. Na época, ela trabalhava como jornalista por lá e cobriu muitas matérias sobre torturas e mortes durante essa sangrenta ditadura. Quando teve de sair do país, descobriu que queria contar essas histórias, contar a história de sua família e também a de seu país. Foi assim que nasceu um dos melhores livros que já li: A casa dos espíritos

A história se estende entre 1905 e 1975 e tudo começa com Nívea e Severo del Valle, um casal bem atípico pra época: ele queria ser um político "do povo", ela era sufragista e fazia reuniões na cidade pra lutar pelo direito ao voto e outros direitos das mulheres. Eles tinham trocentos filhos, sendo que a mais nova era Clara, uma menina com poderes mediúnicos, clarividente, telepata e que podia levantar objetos por aí só com o poder da mente. Ela parecia viver no mundo dos espíritos e estava cem por cento nem aí pra o que acontecia no mundo real. 

Só que chega Esteban Trueba, que era noivo da irmã de Clara, Rosa, que havia morrido, e ele quer casar. Então, casa com Clara, a irmã solteira da família e que, por ser tão absolutamente desligada de tudo, não dá muita importância ao jeito grosseiro de Esteban nem aos sinais claros de que aquilo seria uma desgraça - apesar de que os espíritos ficam avisando Clarita, mas quando a pessoa não ouve a voz do Grande Além coisas ruins acontecem. 

O livro é maravilhoso porque, além da escrita da Isabel ser algo delicado e mágico como nunca li igual, fala claramente dos horrores da ditadura e, mais importante, como se forma uma ditadura num país latino-americano. Já li ele 3 vezes, mas acho que essa última leitura foi mais impactante por conta de todo o contexto do que estamos passando, enquanto latino-americanos, por aqui. Aquela velha história da eterna repetição: minoria com poder decidindo pra seu próprio benefício o que é melhor pra um país enquanto a grande população passa fome, não tem emprego, é humilhada, torturada e morta. Quer dizer, basta a gente ligar a tevê pra ver mais um "novo" horror acontecendo na Venezuela. Em pleno 2017. Com toda a nossa tecnologia e conhecimento histórico de como isso sempre dá ruim, essas coisas ainda acontecem.

Ainda acho que ler sobre isso nos ajuda a ter uma perspectiva do que apoiar e do que repudiar, sempre nos alerta sobre a nossa sociedade atual e serve como aviso permanente de que a história é cíclica e pode sempre se repetir. Mas espero que não se repita mais.

Por que ele é ruim? Ele não é ruim. Simplesmente assim. É um dos meus livros preferidos da vida e perfeito do início ao fim. Isabel Allende, diva deste blog ♥

Só que sempre tem gente chata ~risos~ que diz que a Isabel fez uma coisa meio que querendo imitar o realismo fantástico de Gabo com seu Cem anos de solidão e acabou fazendo uma obra "menor" por conta disso. Eu discordo. Claro que é bem provável que ela tenha lido o livro e tenha sido influenciada pelo gênero, só que as duas histórias são completamente diferentes. Não tem como comparar.

Você vai gostar se... se interessa por livros com contexto político bem trabalho, mas que não são aquela chatice de livro de história da escola, quer muito ler uma algo com mulheres fortes em meio a uma sociedade extremamente misógina e fechada, gosta muito de realismo fantástico, tem fascinação pelo Chile ou pela América Latina ou apenas é fã da Isabel Allende. Ele é um livro que tem de tudo, desde política até feminismo, passando por romanção de novela das seis. Vale muito a pena.

Em um quote:
Escrevo, ela escreveu, que a memória é frágil, o transcurso da uma vida é muito breve e tudo sucede tão depressa que não conseguimos ver a relação entre os acontecimentos, não podemos medir a consequência dos atos, acreditamos na ficção do tempo, no presente, no passado e no futuro, mas também pode ser que tudo aconteça simultaneamente.

34 comentários

  1. Oi, miga!

    Nossa, eu amo demais "A casa dos espíritos", principalmente porque foi um dos únicos livros que me fez ter uma crise de choro colossal. Eu lembro dela até hoje, de tão marcante que foi.

    Teu texto me lembrou o meu sobre "O túmulo de Lênin". Acho que ler romances com pegada histórica, principalmente ditadura, tem um efeito monstruoso na gente, porque é aquela coisa: se deu ruim, pq tá acontecendo novamente? Onde erramos?

    Shame on me, amiga, mas eu não sabia que o Milan era tcheco, que interessante. No livro do David, ele fala sobre as outras repúblicas e de como elas lutaram pela independência na época do Gorbáchov. É de assustar e deixar a pessoa muito triste. Voltando ao Kundera, vou colocá-lo na minha listinha de livros djá!

    Quanto aos librinhos sobre a Rússia, amiga, que maneiro que tu tem origens de lá, amey <3 O livro do Lênin tem uma narrativa sedutora, embora eu prefira a dureza dos romances, sabe? É como se a gente sentisse um pouco do que eles sentiam com os romances. O jornalismo literário é mais soco na hora. Acho que nada disso fez sentido, enfim.

    Te acompanhando no BEDA, antes do BEDA e depois tb. Gosto muito do que tu escreve, migs.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  2. Olá! Tudo bem?
    Gosto muito de livros que abordam assuntos da época da ditadura, eu acho ótimo poder ler cada vez mais e entender como tudo aconteceu. Acho muito importante pois, em cada livro e cada vez que o lemos enxergamos algo novo.
    Beijos.

    www.meumundosecreto.com.br

    ResponderExcluir
  3. Engraçado que quando eu li Isabel Allende pensei logo no Salvador Allende e pá... eram parentes mesmo rs
    Nossa, que vergoinha, nunca ouvi falar desse livro. Adoro livros com contextos históricos, com um bom fundo moral, mas que são leves e gostosos de ler.
    Está anotado aqui e vou procurar
    Bjo grande floooor

    http://cariocadointerior.com.br/index.php/2017/08/03/projeto-clarice-se-o-jantar-beda03/

    ResponderExcluir
  4. Oie , tudo bem?
    Não conhecia esse livro, mas a pesar de não gostar de livros de época, gosto desses livros com temas "antigos", que se passam na ditadura e com contextos históricos!

    Com certeza entrou para minha lista, e em breve vou ler, espero que se torne um dos meus favoritos, assim como é seu! ♥

    ResponderExcluir
  5. Oi, linda!! Não conheço a escrita da autora, mas já me apaixonei só em ler o quote!! Vou buscar mais sobre ela e suas obras. Obrigada pela dica!

    bjs
    www.livrosdabeta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi! Adorei a premissa do livro. Não conhecia a obra, mas adoro ficção que envolve a realidade histórica ao mesmo tempo. Dica anotada! Adorei o comentário "Ele não é ruim. Simplesmente assim." Faz com que a gente sinta mais curiosidade em conhecer a história :)
    Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Eu conheço a autora e o livro, que, infelizmente, nunca concluí a leitura, apenas passou por minhas mãos em poucas horas. A autora é esplendida, preciso comprar uma edição desse livro pra mim, já nem lembrava mais dele. fico grata pela recordação que esta resenha me trouxe.

    ResponderExcluir
  8. cara, não conhecia a autora nem o livro, mas tô num momento em que procuro livros exatamente da forma que tu descreveu: uma ficção com magia com fantasia que deixa a gente sem rumo.. parece ser muito interessante a história, e a parte de tratar da política sem deixar a gente com sono foi um ponto que me chamou a atenção. vou dar uma chance, vamos torcer pra eu me apaixonar como voce!

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?
    Vou confessar que não conhecia o livro nem a autora, mas curti muito a premissa dele. Gosto dessa mistura fantasia realidade, contexto histórico, prende a gente na leitura ne?
    Espero ter a oportunidade de ler em breve, pois me parece uma leitura maravilhosa.

    ResponderExcluir
  10. Gosto de livro cm enredo que falem de política e contextos históricos. Já ouvi falar muito deste livro, mas não tive chance de ler ainda.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Não conhecia a obra nem a autora, mas depois de ler a sua resenha fiquei bastante curiosa para ler! Obrigada pela dica!
    beijos

    a-lilianaraquel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Não conhecia a obra nem a autora, mas depois de ler a sua resenha fiquei bastante curiosa para ler! Obrigada pela dica!
    beijos

    a-lilianaraquel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Eu não conhecia esse livro, mas gostei bastante dos elementos que a narrativa traz. Sua resenha me faz acreditar que a história é daquelas de deixar o leitor maravilhado.
    Espero ler se tiver oportunidade.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  14. Olá não conhecia o livro, adorei a proposta gosto deste tipo de leitura e já anotei para pesquisar mais sobre ele, beijos!

    ResponderExcluir
  15. Olá!

    Eu confesso que não conhecia o livro nem a autora, mas gostei da sua forma de apresentar a obra, mesmo não sendo meu tipo de leitura bateu uma curiosidade.

    Beijos e Sucesso!!

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bem?
    Confesso que não conhecia a autora e nem o livro, rs.
    Fiquei bastante curiosa com a sua resenha e já anotei a dica, minha listinha está enoooorme mas abrirei um espaço, o livro deve ser bem interessante.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  17. O que mais me chamou atenção na resenha foi o fato de a escrita da Isabel ser "mágica", fiquei super curiosa pra ler livros dessa escritora, confesso que nunca li nenhum, infelizmente. Já quero por simplesmente me identificar muito com a parte em que tu indica o livro pra pessoas que gostam de ler sobre um contexto histórico sem muita chatice. Já quero(2)!!!

    Beijos,
    Livros que Li

    ResponderExcluir
  18. Eu não li o livro ainda, só vi a adaptação. Acho o filme maravilhoso por retratar de forma sensível um dos períodos mais sangrentos da história da América Latina, contando com brilhantes atuações Clenn Close, Meryl Streep e Jeremy Irons.
    E pela sua resenha o livro é ainda mais grandioso.

    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Eu não conhecia a autora! Jurava que era um livro espírita haha Fui totalmente surpreendida! Amo livros com uma boa trama desenvolvida principalmente quando possuem um fundo histórico! Amei a resenha e tenha certeza que lerei!

    ResponderExcluir
  20. Oi, tudo bem?
    Não conheço a autora, mas gosto de livros que abordam os problemas de guerra.
    Apesar de ter gostado da sua opinião este livro não me atraiu.
    Vou passar a dica.


    Beijos e até a próxima.

    ResponderExcluir
  21. ganhei ele de um amigo e até ahora nao tive tempo pra ler... mas esse ano pretendo encaixá-lo na lista de leituras...
    a escrita de Allende é maravilhosa. <3
    bjs..

    ResponderExcluir
  22. Olá Mia, tudo bem?

    Eu sou doida para me iniciar nas leituras dos livros da Isabel, mas tenho um leve cagaço de me decepcionar, assim como em muitos do Gabo. Queria começar justamente por esse, por ser apaixonada pelo título e pela capa, mas lendo sua resenha não sei se seria uma boa pedida, rs.

    Beijos

    ResponderExcluir
  23. Li esse livro há alguns anos, em espanhol, para a faculdade e na época o tamanho dele me assustou um pouco.
    Não gosto muito de livro que tenha um quê de política, mas confesso que fiquei apaixonada pela história e pela escrita da Isabel Allende ♥

    ResponderExcluir
  24. Olá!
    Eu não tive a chance de ler o livro ainda. Mas, assisti o filme alguns anos passados. Lembro-me de ter gostado muito da historia e que pelo titulo achava que se tratasse de um filme de terror. srsrs
    Eu me apaixonei por esse romance e tenho vontade de ler,pois deve ser demais curtir cada detalhe que n filme eles omitem. Perfeita resenha, Ótima dica.
    Abs
    Nizete
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  25. Esse livro tava nos meus desejados, e acabei de conseguir solicitar ele pelo Skoob PLUS. Tô animada para ler!

    ResponderExcluir
  26. Olá Mia, eu não conhecia o livro e nem a autora, mas seus comentários me fizeram ficar muito curiosa para lê-lo, principalmente por se passar em uma ditadura *-*

    ResponderExcluir
  27. Eu achei muito interessante e muito válido tudo que você nos expôs da leitura, eu mesma não conhecia o livro e achei a temática muito interessante, foi bom poder conferir sua opinião sobre ele, parabéns.

    Beijos

    ResponderExcluir
  28. Olá!
    Gostei bastante da sua resenha, não conhecia o livro. Confesso que vi uma vez um filme de mesmo nome, mas não sei se é uma adaptação, porém fala de coisas parecidas com as quais o livro apressenta :)

    Vou procurar mais detalhes depois.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  29. Que resenha mais incrível. Amei ler.
    Não sei se é um livro pra mim, pois li muito pouco do gênero, mas acho que vale a pena sair da zona de conforto as vezes.
    Meus pais tem esse livro na estante, quem sabe eu não dê uma roubadinha kkk
    Bjs

    ResponderExcluir
  30. Oie
    já ouvi falar muito do livro e parece ser uma ótima pedida para quem curte esse tipo de livro, não sei se é o meu caso mas ótima dica

    beijso
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  31. Ai que resenha apaixonada! Juro que estava pensando em outra coisa para o livro, pelo título, mas fiquei feliz de saber que é mais político que sobrenatural. Já coloquei o nome dessa mulher na minha lista para 2017.
    Beijos!
    (ah, a resenha tá ótima, parabéns!)

    ResponderExcluir
  32. Olá, tudo bem? Nossa, acredita que não conhecia a autora?! Sua paixão por ela transborda da resenha e isso é ótima. Fiquei bem curiosa, até porque o tema abordado me interessa, por isso dica anotada <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  33. Olá, não conhecia a obra nem sua autora, adorei sua resenha, fiquei bastante interessada pelo enredo e já estou adicionando na minha listinha de desejos.

    Abraços

    ResponderExcluir
  34. Oi Mia,
    Amei a resenha! Mais um erro que preciso corrigir. Preciso ler esse clássico o mais rápido possível. Adoro histórias com realismo mágico e sempre li ótimas críticas de A Casa dos Espíritos.
    Beijos,
    André | Garotos Perdidos

    ResponderExcluir